Espaço Publicitário

O varejo de materiais de construção colecionou vários resultados negativos em outubro, começando pela alta nos preços do setor. O Índice de Reajuste de Preços de Venda Azure – Material de Construção (IRPA-MC) contou com uma variação no período de 1,28%. No acumulado dos últimos doze meses o indicador atingiu os 23% e, no ano, os 18,82%. Apesar disso, vale a pena ressaltar, o resultado de outubro representa o menor valor mensal registrado desde junho de 2020 e dá continuidade ao movimento de quedas sucessivas nos números do indicador.

Apenas a título de comparação, o Índice Nacional da Construção Civil, medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), teve uma alta de 1,01% em outubro. Já no acumulado de doze meses, o INCC alcançou os 21,22%. No ano, de janeiro a outubro, o aumento ficou em 16,79%.

O faturamento médio da categoria contou com nova queda em outubro. Os valores coletados pelo estudo realizado pelo Sincomavi, com base nos dados coletados pela Azure Sistemas em 300 lojas de pequeno e médio portes, mostram que esse indicador caiu de R$ 1,014 milhão, em setembro, para R$ 993.448, em outubro.

A margem bruta, que havia recuado seguidamente nos últimos meses, se recuperou em outubro e atingiu os 33,23%. No entanto, esse patamar se mostra ainda inferior à média dos últimos dois anos.

O tíquete médio acompanhou o desempenho do faturamento das empresas do segmento e atingiu em outubro os R$ 278,67, o que representou uma queda em relação a setembro (R$ 288,96). Apesar disso, o resultado é o segundo melhor já alcançado pelo setor.


Espaço Publicitário