Acompanhamento realizado pela Fundação Getúlio Vargas, Monitor do PIB, mostra que ocorreu um crescimento de 0,3% na atividade econômica do Brasil em novembro, tendo como referência outubro do ano passado. Já em comparação ao mesmo período de 2018, a elevação foi de 1,6%.

Claudio Considera, coordenador do Monitor PIB-FGV, comenta que o resultado positivo da economia em novembro teve como influência o consumo, tanto do mercado interno quanto do externo, com crescimento do consumo das famílias e das exportações: “destaca-se que o crescimento do consumo das famílias está sendo impulsionado pelo aumento do consumo de serviços”. Com relação a Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), a despeito do resultado positivo interanual, o resultado ajustado sazonalmente mostra, em novembro, a terceira queda consecutiva da taxa mensal do indicador. “Este resultado é explicado, principalmente, pela retração de máquinas e equipamentos”, afirma Claudio. E complementa: “Tais resultados continuam sinalizando que a recuperação da economia está mais ancorada na expansão do consumo do que dos investimentos.”

Vale destacar que a FBCF cresceu 4,5% no trimestre móvel findo em novembro, em comparação ao mesmo trimestre de 2018 com crescimento em todos os componentes da FBCF. A contribuição mais expressiva ficou a cargo da construção, com 1,4 p.p. para o total da FBCF.