Realizado em 11 de abril, no São Paulo Expo, durante a Feicon Batimat 2019, a 15ª edição do Simpósio Sincomavi conseguiu dar uma visão muito abrangente do atual momento do comércio varejista mundial e os participantes se mostraram muito satisfeitos com os ensinamentos e exemplos repassados pelos palestrantes. Com público de cerca de 250 pessoas, o evento teve início com a abertura do presidente do Sincomavi, Reinaldo Pedro Correa. Em seu pronunciamento, foram destacadas as novas parcerias firmadas pelo Sincomavi e o importante movimento de regularização das embalagens de produtos comercializados pela categoria (veja mais sobre esse assunto aqui).

Em seguida, o consultor e professor Adriano Sá, que mediou os trabalhos, deu uma pequena introdução ao tema do evento “Varejo 4.0 – a nova era”  e aproveitou para defender o papel fundamental desempenhado pelo “propósito” da marca para o sucesso do negócio, citou, como exemplos, os casos emblemáticos da Natura e Riachuelo.

Ecossistemas chineses

A primeira palestrante do dia ficou sob a responsabilidade da consultora Flavia Pini, diretora de Marketing da HiPartners Capital & Work, que concentrou foco nas soluções encontradas pela China em relação a integração entre comércio eletrônico e físico, sistemas de pagamento e processos logísticos. Esses verdadeiros ecossistemas, que têm como pontos altos o Baidu e o Alibaba, são capazes de responder por todas as necessidades dos consumidores chineses, proporcionando praticidade e conforto nas compras tanto online como offline. Ressaltou a alta digitalização da população daquele país e, logicamente, as diferenças entre os mercados brasileiro e chinês, principalmente em relação à forma de governo e o modo como toda a força de um país pode ser direcionada para um objetivo comum.

Patrícia Cotti, diretora Executiva do IBEVAR – Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo, também citou o modelo chinês, apontou as dificuldades da implantação da omnicanalidade e como varejistas do mundo inteiro, sobretudo da Europa e Estados Unidos, estão enfrentando esse desafio. A adoção de soluções inovadoras foi ressaltada na apresentação, como lojas operando como estações de coleta para produtos comprados pela internet (Target) e se valendo de catálogos eletrônicos no ponto de venda físico, recurso capaz de integrar todo o sistema, diminuindo os custos do ponto de venda e proporcionando uma melhor experiência de compra ao consumidor.

Case Obramax

Para finalizar a primeira parte da programação, Hubert Desmarest, Diretor da Obramax, revelou o caminho seguido pela empresa para a adoção do conceito de omnicanalidade e os primeiros resultados da operação. Sem negar as dificuldades de implantação, Hubert demonstrou como a presença na internet influencia positivamente as vendas pelo televendas e nas lojas físicas. Toda a operação acaba por se beneficiar com a integração, tornando todo o sistema mais forte e a marca mais presente na vida dos consumidores.

As apresentações de Lucas Boletta, gerente Comercial do B2W Marketplace, e Luis Henrique Pelizon Loureiro, diretor Comercial da Rakuten, que finalizaram os trabalhos do 15º Simpósio Sincomavi, também serviram para demonstrar os serviços já oferecidos no mercado brasileiro. No primeiro caso, o marketplace, que proporciona confiabilidade, tecnologia de ponta e sistemas integrados de pagamento e logística. Da mesma forma, a Rakuten, plataforma de comércio eletrônico (lojas virtuais), oferece sistema de pagamentos, integração com os correios e operadores logísticos e, até mesmo, os principais marketplaces do Brasil. Essas soluções, adotadas no mundo inteiro, são o primeiro passo não só para marcar presença no mundo online, incrementar vendas e proporcionar uma melhor experiência de compra aos clientes, mas também como caminho mais rápido e simples para tão sonhada omnicanalidade.

  • A próxima edição do Simpósio Sincomavi já está marcada para o dia 02 de abril de 2020, durante a Feicon Batimat, no São Paulo Expo.